Jalapão: onde fica, como chegar e quando visitar

Todos os anos, o Jalapão atrai milhares de turistas por conta dos seus fervedouros, dunas com vista para o cerrado,cachoeiras e rios de águas cristalinas. Localizado no  extremo leste do Tocantins, o Parque Estadual do Jalapão abrange uma área de 34 mil km²  distribuidos em 15 municípios, e faz divisa com os estados do Piauí, Bahia e Maranhão.

Tudo que você precisa saber antes de visitar o Jalapão

Explorar  uma área tão vasta demanda tempo e planejamento. Para conhecer o Jalapão, é necessário ficar em cidades diferentes quase todas as noites e essa viagem demanda pelo menos três dias inteiros no parque. Existem diversas empresas no Tocantins com roteiros fechados ou personalizados de até sete dias e esta é a maneira mais fácil de conhecer esse paraíso. Escolhemos a Jalapão Brasil, que foi incrível!

Fundado há pouco mais de duas décadas, o turismo na região ainda é relativamente novo, porém bem estruturado.   Por ficar longe dos centros urbanos, o Jalapão é incrivelmente bem preservado e ideal para quem deseja  alguns dias de contato intenso com a natureza. Também é uma oportunidade para conhecer mais sobre as comunidades quilombolas que habitam a região. 

Como chegar  ao Jalapão

O aeroporto mais próximo fica em Palmas-TO, mas para chegar ao Jalapão ainda é preciso percorrer muito chão. Todas as agências pegam os turistas no hotel em Palmas e não há muito o que se preocupar. A porta de entrada do parque é a cidade de Ponte Alta, a 195km de Palmas. Para chegar lá, é preciso percorrer um trecho bem esburacado da TO-255, um dos poucos pontos asfaltados da viagem. Como não existem linhas de ônibus que façam o trajeto, um carro com  tração 4×4 é indispensável. 

Os dias seguintes da viagem  costumam  incluir os municípios de Novo Acordo, Mateiros, São Félix e Taquaruçu, onde estão algumas das principais atrações da região. Contratamos uma agência que, além dos passeios, também ficou responsável pelos hotéis e restaurantes. 

É possível fazer o Jalapão sem agência?  Teoricamente, sim. Mas além das estradas de barro em condições precárias que ficam ainda mais complicadas em época de chuva, falta de sinal de celular na maior parte da região, algumas  atrações ficam bem escondidas e é complicado chegar lá sem guia. Quase todos os dias víamos carros quebrados na estrada.  Se mesmo assim você decidir se aventurar,  alugue um carro 4×4, baixe o mapa do Jalapão e evite a estrada à noite. 

Quando ir ao Jalapão

É possível visitar o Jalapão durante todo o ano, mas isso não quer dizer que ele seja igual o ano todo. Entre maio e setembro são os meses sem chuva, perído que a água dos fervedouros está mais cristalina. Para quem deseja ver o campim dourado, o mês de setembro é perfeito.  

A época de chuva inicia em outubro e vai até finalzinho de abril. Definitivamente ninguém quer pegar chuva nas férias, mas como só pederia visitar o Jalapão em novembro resolvi arriscar. A boa notícia é que, embora fortes, as chuvas não duram muito e quase não atrapalharam os passeios.  A água dos fervedouros pode ficar escura por conta da chuva, mas três permanecem cristalinos: Brutizinho, Macaubas e Por Enquanto

Os fervedouros costumam ter um tempo de permanencia limitado e, em altas temporadas, as filas podem ser muito longas. Por isso, é bom evitar feriados e meses de alta temporada ( julho e entre final de dezembro e fevereiro). 

Quantos dias ficar no Jalapão

As agências oferecem roteiros a partir de três dias e duas noites, que incluem alguns fervedouros, dunas, uma praia fluvial e cachoeiras. Embora seja o suficiente para conhecer as principais atrações, mjas acho o ritmo bastante corrido. Ficamos cinco dias e quatro noites, e continuo achando o ideal. É aconselhável chegar um dia antes do tour e marcar a passagem de volta para um dia depoisdo retorno a Palmas.  

Quanto custa

O preço varia de acordo com a agência e, claro, quantidade de dias. Em geral os roteiros são bem parecidos e depois de uma longa pesquisa, os melhores valores que conseguimos foi com a Jalapão Brasil. Em novembro de 2021, os preços iniciavam em R$1.650 e iam até R$2.800 para seis dias e cinco noites. O valor pode ser parcelado em até 12 vezes com juros. 

Como estavamos em um grupo de três pessoas, optamos por um roteiro personalizado de cinco dias e quatro noites (R$3.000 por pessoa). O valor é mais alto, mas pudemos tirar atrações que não tínhamos muito interesse e focar nos fervedouros. Por conta disso, pudemos desacelar e fazer o Jalapão no nosso ritmo. Além disso, íamos contra o fluxo de turistas e conseguíamos ficar mais tempo nos fervedouros, que têm um tempo de permanencia limitado.

É possível alugar um drone (R$ 200), mas ele não pode ser utilizado em todas as áreas. Também existem passeios alternativos como a trilha para o nascer do sol (R$150), rafting (R$200), tirolesa (R$100) e rapel (R$120).

O valor dos pacotes incluem transfer do hotel em Palmas, hospedagem no Jalapão, alimentação (menos as bebidas), água, lanche, entrada nos passeios e gopro.  Na volta, os passageiros são deixados no hotel em Palmas. Embora tenha sido tudo perfeito, eu hoje pediria para ver os hotéis que serão reservados e inserir uma cláusula no contrato caso algo dê mjuito errado. Vi pessoas reclamando de terem perdido vários dias da viagem por conta do carro quebrado, desconforto por conta de ar, etc. 

Todos os hotéis que ficamos eram excelentes e ficamos surpresos com a estrutura. A comida servida nas pousadas e restaurantes é caseira, simples e bem gostosa. Antes de fechar qualquer pacote, confira tudo que eles oferecem e leia as avaliaçãoes da empresa. 

Valor*
Passeio de 3 dias e 2 noitesR$1.650
Passeio de 4 dias e 3 noitesR$2.050
Passeio de 5 dias e 4 noitesR$ 2.500
Passeio de 6 dias e 5 noitesR$ 2.800
Aluguel de droneR$200
RaftingR$200
Trilha do nascer do solR$150
Tirolesa de 1.200 metrosR$100
RapelR$120
Hotel em PalmasA partir de R$100
Uber aeroporto – CentroR$ 30/40

* Valores de novembro de 2021

O que levar para o Jalapão

  • Roupas leves e de secagem rápida ( shorts, camisetas);
  • Roupas de banho;
  • Sapatilha para andar na água ( é possivel alugar por R$10 na Lagoa do Japonês);
  • Protetor solar e repelente ( é proibido aplicar antes dos fervedouros pois eles possuem substâncias tóxicas para os peixes. Não seja essa pessoa);
  • Camiseta com proteção térmica;
  • Sandália e tênis para trilha;
  • Toalha de secagem rápida;
  • Chápeu e óculos de sol;
  • Roupas de trilha, caso faça alguma das trilhas;
  • Mochila de ataque com tudo que vai utilizar durante o dia. As malas ficam em cima do carro e são retiradas apenas no final do dia;
  • Um casaquinho, porque eu sou uma senhora e sempre tenho medo de sentir frio;
  • Sabonete, shampoo, condicionador;
  • Rémedios
  • Dinheiro. Nem sempre a maquininha de cartão funciona, então é bom levar dinheiro vivo.

Internet e telefonia no Jalapão

Para quem precisa se desconectar, o Jalapão é o local perfeito. O único sinal de internet durante os trajetos fica nas pousadas, que pode nem funcionar em dias de chuva. Sinal de telefone também é bem raro e a Claro funciona em poucos pontos na estrada. A principal função do celular na viagem vai ser tirar fotos mesmo.

Antes de viajar para o Jalapão, é preciso entender que aqui o luxo são as riquezas naturais. É uma viagem que demanda percorrer longos trajetos de carro todos os dias e não existem opções luxuosas de hotéis e restaurantes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: