Chapada Diamantina – Um guia básico para organizar sua viagem

Logo ali, no coração da Bahia, está a região da Chapada Diamantina, que pode ser considerada muitas coisas, menos modesta.  Ela possui um território imenso, maior do que o da Bélgica, por exemplo. Ao todo são 41 mil km, distribuídos em  24 municípios. Embora os números impressionem, não é por meio deles que você irá entender esse pedacinho do Brasil.

Saiba mais sobre as principais cidades da Chapada Diamantina

Percorrer as estradas vermelhas de terra batida da Chapada Diamantina é caminhar por uma parte da história desconhecida por muitos. Antes de se tornar um destino turístico badalado, a região viveu seu auge entre no séculos XIX,  quando atraiu diversos mineradores em busca de diamantes e ouro.

Foi nessa época que a Estrada Real, que vai do Norte ao Sul da Chapada foi construída. Ela era a rota oficial para transportar o ouro até Salvador.

Visitar a região é conhecer um dos parques mais ricos em beleza natural no Brasil. São várias serras, cânions e vales impressionantes, rios com uma água azul piscina, cachoeiras de todos os tamanhos, grutas… Dificilmente você conseguirá esgotar  a Chapada em apenas uma viagem.

Localização

mapachapada
A Chapada ocupa “apenas” esse pedacinho verde no mapa

A 430 km de Salvador,  fica o Parque Nacional da Chapada Diamantina, que foi fundado em 1985 e possui uma área de 1500km. As principais cidades são Lençóis, Palmeiras, Mucugê, Andaraí e Ibicoara, elas costumam ser o ponto de apoio para os diversos passeios da região.

Por conta do tamanho da região, você provavelmente vai precisar escolher duas ou três cidades como base para viagem.

Como chegar

Ônibus

É possível pegar um ônibus saindo de Salvador para Lençóis e Palmeiras  Passagens. A empresa Rápido Federal tem horários saindo às 7h, 13h, 17h e 22h30.

O trajeto que leva 6 horas para Lençóis e custa entre R$ 73 eR$ 95.

Para quem for direto para Palmeiras, são 7 horas de viagem e as passagens saem entre R$ 78 e R$ 106. Se você vai direto para o Vale do Capão é possível pegar uma lotação a partir de Palmeiras.

Carro

dsc_0024
Trecho da estrada entre Salvador e Chapada

Alugar um carro foi uma das melhores escolhas que fiz. Levei em consideração que tudo na Chapada fica muito distante, o transporte público é inexistente em muitos pontos e eu realmente não gostaria de depender das agências de turismo, que têm um preço bem salgado e iam limitar meus horários.

Ir de carro me permitiu, por exemplo, começar minha viagem por Ibicoara, no sul da Chapada onde fiz as trilhas mais pesadas.

Além da independência, alugar um carro saiu mais barato do que contratar passeios. Peguei o carro no aeroporto de Salvador ( R$ 1200 para 10 dias). A estrada até a Chapada é super tranquila, tem alguns pedágios e paisagens bem bonitas.

Um cuidado que tinha era de sempre deixar o tanque de gasolina cheio. Muitas vezes eu pegava um caminho sem fim no meio do nada e sem postos no caminho.

Para quem preferir,  em Lençóis existem algumas empresas de aluguel de carro:

Soylibre:  (75) 9136-9553 / 9900-2483

Pangola:  (75) 3331-1105

Avião

A opção mais rápida é ir de avião até o aeroporto de Lençóis. A Azul possui voos que saem de São Paulo. Confins (MG) e Salvador nas quartas, quintas e domingos. Olhei para várias datas e achei os preços das passagens salgados, por volta de mil reais. Mas vale a pena deixar o alerta de passagem ligado e procurar promoções de passagens.

O aeroporto fica a aproximadamente 20 km do centro de Lençóis. É possível marcar um transfer, por R$ 25 ou pegar um táxi que custa em média R$ 70. Você também pode checar se a pousada oferece o serviço.

Algumas agências que oferecem transfer:

Chapada Adventure: (75) 3334- 1933

Nas Alturas: (75) 3334-1054 / 9 9833-4465

Transfer

Também é possível transfer privativo do aeroporto de Salvador até Lençois. A Chapada Adventure disponibiliza um carro para até 4 pessoas por R$ 1100 e uma van para 12 pessoas por R$ 2000

Quando ir

DSC_0477.JPG
Vista do Morro do Pai Inácio

Definitivamente, não existe uma época ruim para ir à Chapada Diamantina, mas cada época possui particularidades.

Entre novembro e janeiro as chuvas costumam ser mais frequentes. Com isso, as cachoeiras ficam mais cheias e é lindo de ver! No entanto, algumas trilhas ficam mais difíceis depois da chuva e, algumas vezes, você tem que mudar seu roteiro.

Foi a época que escolhi e, particularmente, é a que acho mais bonita, justamente porque os rios e cachoeiras estão bem cheios.

Entre março e junho é quando a Chapada está mais verdinha por conta das chuvas.

Entre maio e setembro os dias são mais claros, o que deixa as gruta azul e os poços do Encantado e Azul ainda mais bonitos.

Onde ficar

A Chapada Diamantina é enorme e por isso dificilmente você vai passar toda a sua estadia em uma única cidade, já que é tudo muito distante. Como estava de carro, optei por ficar em Ibicoara e no Vale do Capão.

Em Ibicoara ficamos no Abrigo do Mato ( telefone: 77 9910-7456 / e-mail: lucianoguiabicho@gmail.com). O Luciano e a Tamara são guias e abrem as portas da casa para quem quiser se hospedar. É uma experiência muito bacana ficar com quem realmente vive ali. A Tamara é a melhor cozinheira do mundo. 

A casa fica depois do Baixão, Zona Rural de Ibicoara, como não tem sinal de internet e celular o Luciano demora cerca de uma semana para responder.

No Vale do Capão, aluguei uma das Casas Maria Flor. O chalé fica no meio da mata e 5 minutos de carro da Capão. A Carla tem várias casinhas na cidade e responde super rápido, inclusive por whatsapp (75 9227-3296).

O lugar que recebe mais turistas é, sem dúvida, Lençóis. Ela é bem bonitinha e tem parece uma miniatura do centro histórico Salvador. A cidade é onde tem o maior número de pousadas e hotéis.

Sinal de internet e Celular

Nas cidades principais o celular funciona sem problemas. Mas saindo dessas áreas é comum ficar sem sinal.

O 4G funciona bem mal e não são todos os lugares que possuem wifi. No Vale do Capão, por exemplo, é possível usar o sinal por R$ 3 a hora. Em Lençóis é um pouco mais comum, mas não é uma regra.

Meu conselho é: encare a Chapada como um destino que você estará desconectado

Bancos

Quando você escolher um destino mais mais distante como a Chapada é sempre bom levar uma quantia razoável em dinheiro. As agências de turismos, restaurantes e lojas aceitam cartão, mas eu sempre tenho receio de não ter sinal.

As principais cidades possuem agências bancárias e lotéricas onde é possível fazer transações.

Lençóis – Banco do Brasil, Correios e Casa Lotérica

Mucugê e Andaraí – Banco d-o Brasil, Casa Lotérica e Correios

Palmeiras – Bradesco, Banco do Brasil, Casa Lotérica e Correios

Ibicoara – Banco do Brasil, Correios, Casa Lotérica e Bradesco

O que levar na mala

  • Mochila
  • Tênis para trekking
  • Capa de Chuva
  • Meias
  • Roupas de Banho
  • Roupas com proteção UV
  • Calça ou short para trekking
  • Roupa de frio ( À noite a temperatura cai bruscamente)
  • Repelente
  • Lanterna
  • Lanches
  • Kit de primeiros socorros
  • Dinheiro em espécie

 

Outros posts sobre a Chapada Diamantina:

Dez dias de carro pela Chapada Diamantina

Onde ficar na Chapada Diamantina

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: